Significante!

Significante!

Pensar é, distintamente, o que mais gosto de fazer! Tudo me leva a pensar; desde uma florzinha solitária num canto de muro, às incríveis e pouco entendíveis invenções que facilitam a minha vida e criam questionamentos, como exemplo, o que sustém um Boeing no ar?
Tudo vira narrativa para mim! Não importa se é uma flor, um Boeing ou pessoas! Sobre as pessoas, então, penso, analiso, observo, julgo (que feio), incentivo positivamente e elogio!
Aliado ao pensar, caminham comigo e se alinham perfeitamente, a sensibilidade e a gratidão!

Hoje acordei com o pensamento numa pessoa e nela me foquei! Foi a primeira pessoa na vida de quem ouvi a expressão “meu bem”! Eu tinha apenas seis aninhos e nunca me esquecerei a situação, a cena, o instante daquele afeto que me soou como um poema! Menininha já carente à época, foi dela que ouvi o primeiro sentimento de amabilidade marcante! É nela que penso ao vir em minha mente a música que ela cantava ao estender roupa no varal “ … ouça a voz de quem tanto te amou… “
Foi ela a cuidar das “ três meninas da mamãe” e o fez, até mesmo antes de se vestir como noiva, no dia em que se entregaria àquele a quem nunca beijou até aquela data! Ele seria o grande e exemplar amor de sua vida!

Ficaria horas a falar sobre ela! Levaria páginas para contar sobre o que nos ligou no passado e as muitas vezes em que desejei carregá-la no colo, por não ter tido a oportunidade de como eu, alçar voos e ousar na vida profissional. Ali, em sua casa, ela era feliz e se esmerava no amor por todos e pelos seus! Trabalhar secularmente não lhe fez falta! Ela dominou a arte e a fluência através dos muitos recortes de tudo aquilo que a leitura diária lhe proporcionou e ainda hoje, tem prosa para qualquer idade! Ela é aquela que me acolheu sem cobranças quando me casei! Me ofereceu o primeiro lar que enfeitei feito casa de boneca; foi ela a amar a minha primeira filha (e aos outros também), como um prenúncio de se tornar vovó! Foi com ela que me derramei incontáveis vezes!  Um dia me distanciei dela; voei para o que era meu e recebi a grata surpresa de ver decorado o quarto de minha menininha… um quarto branco e amarelinho que não poderia comprar… chegou de surpresa! Disse ao entregador: “ você errou de casa” e ele para finalizar a entrega, me mostrou a nota de compra e o meu endereço!

Ah, quantas gratas e ricas lembranças me veem à mente, neste instante em que meu pensamento paira, sobre o nome dela, para orar!
Discordamos em muitas coisas, mas nos respeitamos, sobretudo! A gentileza se faz presente quando a divergência de vivências, pensamentos e atitudes tentam nos distanciar! Nestes momentos o amor pelo mesmo Senhor faz brotar a doçura e compreensão à frente da intransigência; somos acima de tudo, irmãs de sangue! Ela chegou quatorze anos antes de mim, para minha mãe, sendo a primogênita depois de dois meninos e foi a terceira de dez filhos!  Cresceu perita em servir e ajudar ao seu próximo! Era das mãos dela que recebia o mingau tomado antes de dormir todas as noites e é para ela o meu amor neste dia! O nome dela? Maria Helena, Leninha, Dindinha para mim e todos aqueles que me amam e sabem tudo, sobre o que ela significou e significa, para mim! Que eu possa tê-la  comigo, por incontáveis e maravilhosos anos!

Regina.

Leiria, 12 de março de 2019.

This post has already been read 741 times!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *