Se amar primeiro!

Se amar primeiro!

É preciso se amar primeiro, antes de seguir até o outro. Antes, nos observar, nos analisar para desatar os nós da mente! Assim, a vida da alma será leve e o espírito se sentirá livre para alcançar o espaço necessário ao nos aproximarmos e auxiliarmos as pessoas! A gente pode se ajudar e, simultaneamente, socorrer a quem precisa de nossa atenção. Ajudar não significa vivenciar ou carregar nos ombros as angústias e tristezas, do outro… Já são suficientes as nossas dores e é significativo caminharmos juntos! Na trajetória das pessoas, não podemos nos arriscar a viver questões subjetivas! A dor leva ao amadurecimento e reflexão. Assim como nos levou, levará o necessitado! O nosso trunfo deve ser oração eficiente que toca a nossa essência, nos fortalecendo ministerialmente, para que não nos sintamos sobrecarregados.

Quando a intensidade nos preenche, sempre haverá o risco da acomodação ao invés da luta. E quem busca por socorro precisa de serenidade vinda de quem socorre. Algumas questões estão acima de nossas forças e a nossa ajuda, se comprometida, virá como um grito no lugar onde deveria haver o silenciar de nossos lábios. A sabedoria está em apontar caminhos de fé aos que se acham perdidos e desanimados. O medo paralisa e lhes retira a coragem! Então, bom será andarmos juntos, sem avançar além do necessário e conduzir aquele que nos busca. Não há nada mais lindo do que ouvir e aconselhar quando o nosso espírito ouve o Espírito de Deus a nos ministrar! Para o necessitado a descrença é morte! Levá-los a voltar a buscar os sonhos planejados para eles, através da nossa fé e da oração, ainda é a melhor opção antes de qualquer realização.

Regina.

Leiria, 01 de abril de 2019.

This post has already been read 1178 times!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *