Uma nova vida.

Tudo estava tão ruim…

Não havia comunhão, cumplicidade, parceria, entre meu marido e eu. Ele fora aquele que eu escolhera para ser o amor da minha vida…

Na realidade, não era só o casamento, mas tudo estava muito ruim para e, em mim, sobretudo, não havia estratégias consideráveis, para uma mudança…

Eu me sentia só em minha casa… Solidão acompanhada – a pior de todas as solidões! Um desejo enorme de estar na casa de  meus pais, protegida, cuidada.  Eu estava, como criança querendo o colinho de minha mãe…

Meus amados filhos me olhavam desolados – com certeza desejavam a mãe atenciosa e que lhes era tão próxima e amiga. Os olhos eram de quem deseja ajudar, solidários, mas não sabiam o que fazer…  A cada briga e deslealdade, a certeza de que tudo naquele casamento não ia bem; ruía, rapidamente!

Éramos, meus três filhos e eu. Eles, agora, crescidos e não mais precisando  de mim enquanto eu, necessitando tanto deles…

Uma solidão doentia me abatia a cada manhã e a responsabilidade quase adormecida, despertava-me de meu esturpor. Havia trabalho, meus filhos, um lar para  cuidar ou  seria só uma casa?  Isto não importava. Levantava-me, tão  desanimada, e fazia, o indispensável – nada mais que isto!

 Aos poucos, saber que tinha pais, irmãos, amigos e, também, uma família constituída,  não alterava a minha motivação diante da vida e uma vontade gigante me preencheu: desejei morrer… Quando esta dor vinha, sacudia a minha cabeça, como se esse gesto pudesse afastar os meus pensamentos… Tudo tão triste, tudo tão longe de meus princípios, de tudo que planejei e a tristeza da depressão se apossou de mim!

Um dia, minha querida e sábia amiga Wânia adentrou a minha cozinha, como fazia todas as manhãs e me falou de um amor que havia conhecido!!! Era um amor diferente; um formato de renúncia sem peso, sem barreiras, que era a Verdade e que libertava! Em minha dor eu recusei Aquele amor, mas  ela orou por mim, por quase cinco anos – paciente, cuidadosa e amorosamente!

Num dia como esse, há dezoito anos atrás, eu aceitei, através dela, Aquele que faria toda a diferença, em minha miserável vida… Ele veio para mim e me aceitou do jeito que eu estava, como que num preparo, para um tempo de dor ainda maior que estava por vir, em minha futura separação. Ela  feriria aos meus filhos e a mim.

Ele foi meu abrigo e consolo!! Quando achei que não suportaria tamanha dor, não sucumbi. Ele, ali, bem do meu ladinho, me ofereceu o Seu doce e incondicional amor. Lentamente, fui conhecendo mais de Seu braço forte e de Sua fidelidade e me tornei uma nova criatura; "as coisas velhas se passaram e eis que tudo se fez novo!"

Esqueci a depressão que me escravizava, libertei-me aos poucos, de tudo aquilo que me era tão nocivo!

Caminhei pelo deserto num tempo de desafios, onde Ele caminhou comigo e me fez conhecer a alegria de ser filha e amada de Seu coração! De repente, entendi, acomodando dentro de mim, que Ele comprara a minha vida numa rude cruz e a selou, com o Seu sangue, num gesto que jamais conseguirei entender, mas que trago comigo, como algo preciosíssimo!

Naquele deserto, Ele se achegou mais e mais. Em meio às minhas lágrimas, falou ao meu coração. Enquanto estava fechada na dor, com Sua delicadeza, Ele foi abaixando  minhas reservas, meus muros, muitos destes, contruídos durante anos, para minha autoproteção. Em meu silêncio, Sua suave voz me ensinava sobre minhas montanhas e meus vales. Me levava, novamente, a cada situação me ensinando sobre meus erros e acertos, para que eu pudesse extrair dos mesmos, um aprendizado. Pude entender ali, que Ele me contava minha história, vista pelo ângulo de Seu olhar..

Descobri que, na verdade, nunca estive abandonada; Ele, sempre, estivera comigo, mesmo quando meus sentimentos não podiam percebê-Lo!!!

Hoje, ainda estou buscando mais de Seu amor,  pois é meu desejo, crescer na Palavra  d’Ele e faço isso, de maneira sistemática e sem religiões!!!

Sinto-me tão livre ao falar sobre meu passado, pois entendi que sou amada e preciosa, para Ele.

Agora, sei quem sou e o que Ele que pensa sobre a minha identidade Nele. As circunstâncias ao meu redor foram e continuam sendo transformadas, dia a dia!

Pude e posso desfrutar de grandes vitórias e uma certeza permeia a minha trajetória: O amor d’Ele é tão grande e sou sabedora de que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que Ele tanto ama."

Me sinto protegida e cuidada… O medo cedeu lugar ao amor e Esse amor me inunda e me leva a uma vida cheia de esperanças e novos sonhos…

                        Regina, 08 de março de 2009.

Wânia, minha boa amiga, irmã e mãe espiritual, receba o meu amor.
Vicente Pereira, meu primeiro pastor, nesta Terra, para você, o meu agradecimento, sempre!                           
Regina Celi

Regina Celi

Regina Celi de Santana é educadora, com especialização na área de Educação infantil, com mais de 40 anos de experiência. Autodidata, mãe de três filhos e vovó orgulhosa de seus quatro netinhos: Gabriel, Kauã, Mateus e Joy!! Após se aposentar se tornou uma culinarista e é proprietária da "Cia Sabor e Arte", em Belo Horizonte, capital das Minas Gerais.

More Posts

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *