Ingratidão!

Das palavras, uma das mais tristes! Diz-se daqueles que não reconhecem o bem que lhes foi oferecido nem a ajuda que lhes foi concedida. O ingrato é ausente da qualidade que expressa agradecimento. Por não conseguir alcançar resultados positivos na vida, geralmente, é amargo e presunçoso. Na árdua busca por mais do outro, se esquece após receber o benefício de agradecer ou reconhecer o gesto e perde a chance de ser mais feliz! Conheço muitas pessoas ingratas; quem não as conhece?!

Hoje acordei pensativa, sobre tudo: o tempo que ganhei ou perdi entre amores, cuidados, gratidão, ciúmes, incompreensões, desconfianças e a famigerada ingratidão, com os silêncios vis que a acompanham, guardamos e que  geraram feridas arraigadas nas nossas almas!
Precisamos mudar! Carregamos em nós desejos de amor! Acredito, porém que, quando há baixa na autoestima, enxergamos tudo torto e vamos perdendo a capacidade de sermos agradecidos… Esbarramos assim, na sensibilidade do outro…
Não importa a condição da pessoa; se o coração não é grato, de nada valem estudo, a busca por melhorias, ante ao desencontro nos nos propósitos…

Gratidão, ao contrário do que falo, é prestar ao outro a honra do reconhecimento, por algo bom que ele nos fez! É caminhar alinhado com a generosidade, traçando o inverso, diferentemente. É entender que não somos obrigados a dizer “obrigado” para ninguém, mas algo intrínseco em nós revela a grandeza do preciso reconhecimento! Reconhecer é não deixar no que nos serve, a sensação de que pouco valeu o seu esforço, apesar de que aquele que se doa, o faz porque deseja!

Precisamos desenvolver em nós a gratidão a Deus, por todas as coisas e por cada pessoa que, de alguma maneira nos ajuda, beneficia, ou nos doa o seu tempo! Restaurar o tempo é implantar na mente a sementinha da reciprocidade, indo além do agradecimento, aliando- o à retribuição. Necessário se faz demonstrar que estamos atuantes e sensíveis aos gestos que nos alcançam.

Se você se sente mal, como eu pela ingratidão de alguém, lembre-se que Deus nos sonda, avalia, reconhece e identifica, sendo o nosso mais alto Refúgio!
Regina.

Leiria, 19 de janeiro de 2020.

This post has already been read 357 times!

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *