Sem tendências ou possibilidades…

Talvez a vida não consiga explicar certos amores, cuidados e a nossa insistência no zelo… é preciso que a Luz que vem do Senhor dissipe a escuridão que insiste em nos cegar! Nossas enganosas certezas muitas vezes nos impedem de ver, claramente, o que desejamos em nossos propósitos…

Talvez o nosso carinho e cuidados passem desapercebidos, pelos objetos de nosso amor!

Talvez a nossa maneira de mostrar o zelo no amor, tire do outro o chão a espontaneidade, o brio… e quando isto acontece, quem perde o chão somos nós…

Talvez, a nossa maneira de enxergar não nos deixe respeitar os outros, vendo as suas necessidades de se mostrarem exatamente, como desejam ser! E mesmo que, o que vemos na convivência não seja o que consideraríamos o melhor na vida dos outros, não será jamais aquilo que eles ouvem de nós, o que os transformarão ou desejariam escutar!

Talvez, o que precisemos seja dar espaço, permitindo aos outros, descobrirem que o nosso amor muitas vezes pode falhar…
Aí, talvez, os alcancemos e eles sintam que, mesmo no erro do aconselhamento, só queríamos acertar e fazer por eles, tudo aquilo que fizemos e que nos encheu de paz!

Talvez o que precisemos descobrir nos outros é que seus valores diferem dos nossos; que as suas virtudes são maiores do que consideramos; que o encontro tem que ser bilateral e que, jamais mudaremos nada e nem ninguém, sem que primeiro nos observemos, tendo a certeza de que precisamos deixar de tantos tendenciosos “talvez”, cuidando apenas da certeza de que não queríamos sufocar.
Assim, o nosso zelo se transformará em respeito e consideração! Teremos, por fim,  a garantia de que com menos ensinamentos não seremos responsáveis pela tristeza e falta de ação daqueles que só queríamos trazer para mais perto, sem esta terrível tendência de que eles nos achem desejosos de sermos perfeitos…

* Para Norma Santana, com um pedido de perdão.

Regina.

Belo Horizonte, 09 de dezembro de 2019.

This post has already been read 240 times!

2 comments

  1. Te amo tanto irmãzinha e você pra mim, sempre será uma inspiração, um exemplo de tudo. Talvez eu esteja muito cansada e só veja os defeitos que veem em mim..Tenha certeza , suia mudança mexe muito comigo.Como vou ficar aqui sozinha .A quem recorrer, desabafar ou encontrar?Mas te amo , te amo , te amo.E você sabe né? Meu nome é ciúme. ????????

    1. Ei, Norma!

      Ciúme não é e nunca será o seu nome! O seu outro nome é “serviço”! Coisa linda neste mundo caótico, onde as pessoas se importam tão pouco, com as nossas necessidades!

      Algumas palavras precisam voltar à vida, para que viver valha a pena! Servir é uma delas e aliada à gratidão, nos leva à uma dimensão do amor que vem do Alto, direto do Trono da Graça, do nosso Maravilhoso Deus!

      Beijo meu, minha amada.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *