Aguardando…

Sabe aquela vontade de ficar quietinho, no aguardo de que algo novo venha ao nosso encontro?  Estive vivendo assim, refém de mim mesma, quando tinha tantos  motivos, para que sentimentos maravilhosos aflorassem, em mim! Um olhar no passado e um desejo de retomar a minha vida no  sonhar,  vivendo de verdade, sem me sentir enclausurada à espera do novo! Perdi a minha inspiração e, deitada em meu leito aguardei por ela, para que eu me sentisse cheia do Espírito Santo de Deus e a Sua manifestação acontecesse. Mas será que Ele que não abandona ninguém, teria se ausentado de mim? De forma alguma; foi a sua visitação que me trouxe até aqui!

Tinha em mim, conscientemente,  o meu valor e a dedicação aos meus propósitos, mas em meio à batalha travada na mente, me vi impedida de continuar…                                                            Vontade enorme de voltar a  edificar, levar palavras de conforto e ânimo às pessoas, consolar os que sofrem, levando um pouco de vida àqueles que perderam o sentido da mesma… só que, de repente me tornei um deles; estava precisando e, ainda preciso que alguém me diga: “eu estou aqui, para você…”   Um enorme questionamento surgiu em mim…    Que vazio me roubou de mim mesma, me levando a uma autocomiseração insuportável? Minha mente, sempre, tão cativa a Deus se enveredou por caminhos de nada valer, de se sentir só, mesmo acompanhada de muitas pessoas amadas, com sentimento inenarrável de culpa, sem entender a razão, para a reclusão e inércia… foram seis meses impensáveis, para alguém que confia, crê, se entrega a um amor Maior! Enquanto Deus me pedia ação e atitudes, eu ficava assim: oprimida!

Você alguma vez, se sentiu assim?  Se já, busque não ficar só; procure ajuda, para se reequilibrar, pois depressão é recorrente e, a cada vez que surge, vem de maneira diferente e com agravantes! Ela não dá trégua; ela vem e se instala!                                                                                                          Quero lhe dizer que foi preciso repensar tudo, quando a tempestade de dor e tristeza, aliados à culpa que carregava, me fez deixar a paralisação, para não sucumbir…  Foi em meio às poucas lágrimas que rolavam que busquei entender que há vida após a luta interna! É preciso descobrir que muitas vezes, tudo o que precisamos é parar um pouquinho, abrindo verdadeiramente os nossos olhos espirituais, para ver a Grandeza do Deus Altíssimo, nos mostrando que nem sempre seremos a fortaleza a que nos impomos e que mesmos sendo independentes no livre arbítrio; ele só vai funcionar, se confiarmos as nossas vidas, mesmo nas lutas e dores, a Ele que nos faz prosseguir de forma literal!

Eu espero que tenhamos forças; você e eu, caso esteja sofrendo, na improdutividade. No meu caso, dentro da minha finitude, tem sido uma luta diária. Venho aguardando o desvencilhar deste imensurável desafio de carregar no íntimo a vontade de recomeçar! Busco isto em meio a louvores, exaltações, glorificando a Deus, para que eu veja minha tristeza mudar para alegria; a escuridão se encontrar com a Sua Luz; saindo do vazio, para uma tremenda necessidade de esquecer este tempo, para novas escolhas e decisões.                                                                                 Hoje, estou dando o meu primeiro passo, na liberdade de ter Jesus e o Seu Santo Espírito a me guiar! Clame, por Ele!

Regina.

Belo Horizonte, 09 de agosto de 2018

This post has already been read 156 times!

5a8d1917edd87072771346db5edb9538

5a8d1917edd87072771346db5edb9538

Regina Celi de Santana é educadora, com especialização na área de Educação infantil, com mais de 40 anos de experiência. Autodidata, mãe de três filhos e vovó orgulhosa de seus quatro netinhos: Gabriel, Kauã, Mateus e Joy!! Após se aposentar se tornou uma culinarista e é proprietária da "Cia Sabor e Arte", em Belo Horizonte, capital das Minas Gerais.

More Posts

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *